Leilão A-5 teve 40 projetos de geração e contratou 151 MW de energia.

O leilão A-5, realizado no último dia 30 de setembro, resultou na contratação de 151 MW de energia com preço médio de R$ 238,37/MWh de 40 projetos de geração. O certame conta com diversidade de fontes energéticas. As empresas vencedoras no certame darão início ao fornecimento no dia 1º de janeiro de 2026.

A novidade desse leilão foi a participação de usinas que geram energia proveniente de resíduos urbanos sólidos/waste-to-energy (RSU/WTE). Dentre os 12 projetos inscritos no certame, a URE Barueri vendeu 75% de sua capacidade de geração, ou seja, 12 MW no valor de R$ 549,35 MWh e deságio de 14,03%. A fonte será implementada em Barueri (SP) e trata-se da primeira usina de Recuperação Energética da América Latina. A URE utilizará 300 mil toneladas de lixo por ano.

Já a fonte que fornecerá mais energia porque teve o maior número de contratos é a biomassa, que vendeu 53,1 MW de sete usinas de bagaço de cana de açúcar e uma de cavaco de madeira, distribuídas entre Alagoas, Mato Grosso, São Paulo e Minas Gerais. A contratação dessa fonte equivale a 35,2% do volume negociado.

As eólicas venderam no total 161,3 MW divididos entre 11 projetos, com deságio de 12,6%. As solares comercializaram 30,3 MW distribuídos entre o estado de São Paulo, Nordeste, Piauí e Ceará. O deságio dessa fonte foi de 12,6%. Apenas uma usina hídrica venceu a disputa, a UHE São Roque, com preço médio de R$ 174,27, sem deságio.

See more

%d bloggers like this: