Brasil pode ter uma nova Itaipu em uma década em regiões afastadas

Você sabia que existe em torno de 212 localidades isoladas no Brasil, onde o suprimento de energia elétrica acontece através de térmicas a óleo diesel?

Walfrido Avila, presidente da Tradener, apresentou recentemente um plano nacional de construção de 100 pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) por ano por um período de 10 anos, o que totaliza 1000 unidades durante uma década. Essa é uma solução para levar energia elétrica a locais isolados.

O volume de energia a ser gerado equivale a cerca de 14 GW distribuídos, ou seja, uma nova Itaipu no interior do Brasil. Espalhar pelo país a maioria das PCHs em regiões distantes, que não são atendidas pelas linhas de transmissão, é uma estratégia não só para suprir a população de energia, mas também para o desenvolvimento, desde o agronegócio à geração de novos empregos.

Existem regiões atendidas por sistemas isolados, que segundo o Operador Nacional do Sistema (ONS) produzem e transmitem energia elétrica através de sistemas não conectados ao Sistema Interligado Nacional (SIN).

Segundo o ONS existem 212 localidades isoladas no Brasil. A maioria está na região Norte, nos estados de Rondônia, Acre, Amazonas, Roraima, Amapá e Pará. A ilha de Fernando de Noronha, em Pernambuco, e algumas localidades de Mato Grosso. Tais regiões são supridas por térmicas a óleo diesel.

O plano de 100 PCHs leva energia limpa e renovável para regiões remotas. É totalmente viável para o Brasil, principalmente porque detemos a tecnologia necessária para avançar com o projeto imediatamente. Além disso, as PCHs são usinas duradouras, que proporcionam riquezas.

O momento ideal para colocar o plano em prática é o atual, o país vive atuando de forma emergencial. É preciso planejamento para que não tenhamos uma nova crise elétrica em pouco tempo. O dimensionamento das fontes hídricas proporciona a distribuição correta para diferentes regiões e a continuidade do abastecimento no futuro, sem que para isso seja necessário acionar outras fontes que encarecem o preço da energia para o consumidor. O país precisa se planejar para que exista energia suficiente e a preço competitivo.

Para que o plano seja colocado em prática, o governo pode contar com as distribuidoras de energia para realizar a subdistribuição pelos estados. Esse é um projeto que depende da vontade política, já que PCHs são construídas para a nação, o investidor ou empresário é apenas um concessionário.

Essa proposta elaborada pelo CEO da Tradener prevê a distribuição de energia pelo país e estabilidade para os consumidores, além de privilegiar a tecnologia nacional e a mão de obra brasileira.

Quer entender o plano na íntegra, assista aqui: https://www.youtube.com/watch?v=gqmaj8no3YY&t=1019s

Veja também

%d blogueiros gostam disto: