Trader prevê movimentar US$20 mi/semana

Tradener exporta energia para Argentina, prevê movimentar US$20 mi/semana

A comercializadora de eletricidade brasileira Tradener iniciou nos últimos dias exportações de energia para a Argentina que visam ajudar a atender à demanda do país vizinho durante o inverno, em operações que devem movimentar cerca de 20 milhões de dólares por semana, disse à Reuters um executivo da empresa.

As negociações envolvem energia produzida por termelétricas operadas no Brasil pelas francesas Engie e EDF e pela estatal paranaense Copel, que é revendida pela Tradener para a operadora do mercado elétrico argentino, a Cammesa, por meio de um contrato direto.

A transação, a primeira realizada dentro de uma regra aprovada em 2019 que permite intercâmbios comerciais, e não trocas, como no passado, ainda contou com garantias do Banco Itaú e da Junto Seguradora (ex-JMalucelli Seguradora).

"As exportações representam em torno de 20 milhões de dólares por semana. Vamos ver até quando vai. Normalmente, enquanto durar o inverno. Depois, pode voltar no verão –quando está muito frio ou muito quente lá, eles importam", explicou à Reuters o presidente da Tradener, Walfrido Avila.

"Conversamos com eles (Argentina) e até 20 de agosto, que é o inverno, isso pode se prolongar, continuar. Depois, acho difícil", acrescentou ele, ao ser questionado sobre a duração das exportações.

Avila afirmou que, no momento, apenas a Tradener realiza das exportações.

A Tradener recebeu em julho autorização do Ministério de Minas e Energia para exportar energia à Argentina até o final de 2022, no volume de até 2.200 megawatts médios (MW médios), por meio de estações conversoras na fronteira com o país.

"Eles estão pedindo de 1.200 MW médios a 1.500 MW médios, por enquanto, por semana", disse Avila.

Ele disse que a Tradener também tem mantido conversas com outras termelétricas que devem participar das exportações, incluindo uma usina da Âmbar Energia, unidade da holding J&F Investimentos, controladora do grupo de alimentos JBS.

Só podem exportar energia usinas térmicas que não estejam acionadas para atendimento à carga no Brasil, segundo regras para as operações estabelecidas pelo governo, que visam garantir a segurança energética do país.

O executivo da Tradener disse que apenas termelétricas "competitivas" conseguem realizar as vendas, uma vez que é preciso oferecer aos argentinos preços que permitam ao país vizinho desligar termelétricas locais a óleo com custo maior.

As operações também competem com exportações do Uruguai, que no momento está com sobras de energia, acrescentou Ávila.

Ele disse que a energia negociada pela Tradener com os argentinos é da termelétrica a carvão Jorge Lacerda, da Engie, e da usina a gás Norte Fluminense, da EDF, enquanto os próximos envios envolverão também energia da térmica a gás Araucária, da Copel.

NOVA REGRA

As exportações para a Argentina neste ano acontecem já sob novas regras para as transações, aprovadas em 2019, que permitem intercâmbios comerciais entre os países, com remuneração por preços de mercado.

Antes, Brasil e Argentina realizavam "trocas" de energia, com envios de um país para o outro que eram devolvidos posteriormente.

O Ministério de Minas e Energia disse nesta terça-feira que o Brasil tem exportado energia de termelétricas para a Argentina desde sábado.

Foram contabilizadas exportações de 688 MW médios no sábado, de 721 MW médios no domingo e de 842 MW médios na segunda-feira. Nesta terça-feira, deve ser exportado um total de 1.227 MW médios, por meio de cinco usinas termelétricas, disse o ministério, sem detalhar.

Fonte: Terra

28.07.2020

Veja também

Geral

21.06.22

O que faz um profissional que trabalha com comercialização de energia?

Geral

07.06.22

Tradener alcança certificação Great Place to Work pela segunda vez

Na Mídia

17.05.22

Barra Bonita é destaque em jornal Gazeta do Povo do PR

Geral

04.05.22

Tradener investe em energia limpa e renovável para um mundo em transformação

Setor Energético

28.04.22

Brasil alcançou a 6ª posição em ranking de energia eólica

Geral

27.04.22

Mês da criatividade e inovação com protagonismo da Tradener

07.04.22

Cidade de Pindaí onde empresa do grupo tem parque eólico celebra 60º aniversário

Setor Energético

23.03.22

Como a meteorologia impacta os preços da energia elétrica no Brasil?

Press Release

22.03.22

Tradener propõe Plano Nacional de 100 PCHs com geração de até 1 milhão de empregos

Press Release

22.03.22

Tradener fecha contrato inédito com a YPFB para trazer gás natural boliviano ao Brasil.

Press Release

22.03.22

Tradener cresceu quase 60% suas vendas de energia em MWh em 2021

Press Release

22.03.22

Tradener aumentou em 103% sua compra de energia no longo prazo.

Setor Energético

22.03.22

A importância da água na geração de energia elétrica.

Setor Energético

15.03.22

O que esperar da micro e mini geração distribuída x incentivos e crescimentos projetados?

Gás

07.03.22

Tradener fecha contrato inédito com a YPFB para trazer gás natural boliviano ao Brasil.

Setor Energético

22.02.22

PDE 2031: qual é a tendência da Matriz Energética Nacional para a próxima década?

Geral

17.02.22

Sua empresa está preparada para descarbonizar?

Setor Energético

10.02.22

Como está o processo de geração de energia eólica em mar brasileiro?

Setor Energético

09.02.22

A influência das chuvas na geração de energia eólica

Setor Energético

02.02.22

Energia Renovável no Brasil, o que esperar para os próximos anos?

25.01.22

Parabéns, São Paulo da garoa, da terra boa e da energia solar!

Geral

10.11.21

Como é o mercado de trabalho no setor de energia?

Mercado Livre

11.08.21

Como alcançar mais previsibilidade na fatura de energia elétrica?

Geral

25.03.21

Energia Eólica no Brasil e no mundo

Setor Energético

20.05.22

Chuvas de março melhoram afluência da região Sul

%d blogueiros gostam disto: