Reservatórios do SE/CO devem terminar o mês com mais de 50% do volume

Na sexta-feira, 19, nível de armazenamento do submercado estava em 48,8%. Previsão consta da 3ª revisão do PMO

Os reservatórios do Sudeste/Centro-Oeste devem terminar o mês de fevereiro com mais de 50% do nível de armazenamento. De acordo com a revisão 3 do Programa Mensal de Operação do Operador Nacional do Sistema Elétrico, a previsão é de que os reservatórios do subsistema estejam em 51,3% ao fim do mês. No Sul, a situação é ainda melhor, com perspectiva de encerrar fevereiro com 95,4% do volume. Para o Nordeste e Norte, as estimativas são de 33,1% e de 47,3%, respectivamente.
 
As afluências no SE/CO para o mês apresentaram recuo de 87% para 85% da Média de Longo Termo. No Norte, a redução foi maior, de 85% para 73% da MLT. Já no Sul e Nordeste, houve melhora nas previsões, passando de 154% para 155% da MLT e de 82% para 88% da MLT, respectivamente. Para a semana de 20 a 26 de fevereiro, as afluências esperadas são de 83% da MLT no SE/CO; 139% da MLT no Sul; 55% da MLT no Nordeste; e 63% da MLT no Norte.
 
Segundo o PMO, na próxima semana deve ocorrer chuva fraca a moderada nas bacias dos rios Paranapanema e Tietê, e precipitação de intensidade fraca nas demais bacias hidrográficas do subsistema Sudeste/Centro-Oeste, no Uruguai e no Iguaçu. A bacia do rio Tocantins permanece apresentando chuva fraca isolada. O valor médio semanal do Custo Marginal de Operação dos subsistemas SE/CO, Sul e Norte passou de R$ 1,19/MWh para R$ 1,79/MWh. Já no Nordeste, aumentou de R$ 165,70/MWh para R$ 243,95/MWh.
 
A carga prevista para o SE/CO e Sul apresentam crescimento de 2,6% e 1,5%, respectivamente. Já para o Nordeste, a perspectiva é de queda de 1,4%. Segundo o ONS, as projeções refletem o baixo desempenho da indústria e a redução observada no nível de atividade do setor de comércio e serviços. Além disso, levam em consideração a expectativa de permanência de temperaturas elevadas nos subsistemas SE/CO e Sul, conforme vem ocorrendo ao longo da primeira metade do mês. No Norte, a taxa de crescimento da carga prevista é de 6,9% e está influenciada pela interligação do sistema Macapá, que, a partir do mês de outubro de 2015, já se encontra totalmente interligado ao SIN.
 
A geração térmica no período deverá alcançar 10.882 MW médios, sendo 5.000 MWmed por garantia energética. O ONS ainda fez a indicação de despacho antecipado por ordem de mérito de custo para a semana de 23 a 29 de abril das térmicas Santa Cruz, com Custo Variável Unitário de R$ 114,83/MWh, e de Luizormelo, com CVU de R$ 171,31/MWh.
 
Fonte: Canal Energia (19/02/2016)

Veja Também

%d blogueiros gostam disto: