Liminar reduz conta de energia de empresas

Decisão judicial suspende cobrança da Conta de Desenvolvimento Energético para associadas da Anace, Abividro, Abiclor e Abiquim

Quatro associações conseguiram na terça-feira uma liminar para suspender parte do pagamento da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) ? um encargo cobrado de todos os consumidores brasileiros para custear uma série de gastos no setor de energia elétrica. A decisão da juíza Federal Cristiane Pederzolli Rentzsch, da 16ª Vara, beneficia as empresas representadas pela Anace (dos consumidores de energia)? Abividro (da indústria de vidro)? Abiclor (da indústria de álcalis, cloro e derivados)? e Abiquim (da indústria química).
 
Para este ano, o orçamento previsto para a CDE ? em audiência pública na Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) ? é de R$ 18,44 bilhões. Esse valor será dividido entre todos os consumidores residenciais, comerciais e industriais. No pedido de liminar, as associações argumentam que a CDE, criada para fomentar políticas públicas, hoje tem sua natureza ?desvirtuada?.
 
A partir de 2013, a MP 579 ? que reduziu a conta de luz em 20% ? mudou tanto o regime de arrecadação como o uso dos recursos da CDE. O encargo ganhou uma série de atribuições, que inicialmente contaria com aportes do Tesouro Nacional para fechar a conta. Mas, com o ajuste fiscal e a falta de dinheiro do governo federal, sobrou para os consumidores arcarem com os custos, que no ano passado somaram R$ 25,2 bilhões.
 
A liminar conquistada esta semana suspende o pagamento referente a sete itens do orçamento da CDE. São eles: a subvenção tarifária equilibrada, para compensar o efeito da não adesão à prorrogação das concessões de geração em 2013? exposições das distribuidoras que ficaram sem contratos para atender toda a demanda nos últimos anos? operação de usinas termoelétricas? obras olímpicas? custos dos sistemas elétricos de Manaus e Macapá e do Gasoduto Urucu-Coari-Manaus? e reembolso do carvão mineral da térmica Presidente Médici.
 
Para a advogada responsável pelo processo Mariana Amin, do escritório Amim Sociedade de Advogados, a MP579 promoveu uma distorção muito grande no encargo, que tem punido o consumidor livre. ?Há dispêndios que não foram auditados, como os restos a pagar, e contas que não foram aprovadas pelo TCU (Tribunal de Contas da União), como os gastos com o carvão usado na térmica Presidente Médice.?
 
Precedente. A decisão liminar beneficia dezenas de empresas de médio e grande porte, como Braskem, Basf, Weg, Unipar, Dow, Saint Gobain e Nadir Figueiredo. Boa para esses consumidores, a medida representa um problema para o governo federal. Sem dinheiro para fechar a conta, uma das alternativas será repassar para os demais consumidores que não estão amparados por decisão judicial.
 
É o que deve ocorrer com a liminar obtida no ano passado pela Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres (Abrace). Na Nota Técnica que define as cotas anuais da CDE para 2016, a Aneel afirma que a decisão beneficiando os associados da Abrace, ainda em vigor, representou uma perda de arrecadação de R$ 1,81 bilhão no ano passado.
 
?Não havendo alteração no orçamento da CDE de 2015 pelo Poder Executivo, essa perda de arrecadação será repassada aos demais consumidores de energia elétrica, não associados da Abrace, de forma a manter-se o equilíbrio econômico e financeiro do fundo setorial, preservando-se o custeio das políticas públicas no setor elétrico?, afirma a agência na Nota Técnica, em audiência pública.
 
Agora, com a nova liminar, os problemas para a Aneel equacionar vão aumentar. ?Essa decisão cria um precedente importante?, afirma o superintendente da Abividro, Lucien Belmonte. Em outras palavras, significa que outras associações ou consumidores podem seguir o mesmo caminho e conseguir liminares suspendendo a cobrança. Até a tarde de ontem, a Aneel não havia sido notificada da nova liminar.
 
Fonte: O Estado de São Paulo (21/01/2016)

Veja também

Geral

27.07.22

Walfrido Avila é uma das 100 personalidades mais influentes do setor de energia

Press Release

04.07.22

Nova Lei do Gás: Tradener e Compagas viabilizam a primeira importação de gás e inauguram o Mercado Livre

Na Mídia

04.07.22

Tradener é destaque editorial na imprensa pela divulgação do primeiro contrato que inaugura o mercado livre do gás no Brasil.

Geral

21.06.22

O que faz um profissional que trabalha com comercialização de energia?

Geral

07.06.22

Tradener alcança certificação Great Place to Work pela segunda vez

Na Mídia

17.05.22

Barra Bonita é destaque em jornal Gazeta do Povo do PR

Geral

04.05.22

Tradener investe em energia limpa e renovável para um mundo em transformação

Setor Energético

28.04.22

Brasil alcançou a 6ª posição em ranking de energia eólica

Geral

27.04.22

Mês da criatividade e inovação com protagonismo da Tradener

07.04.22

Cidade de Pindaí onde empresa do grupo tem parque eólico celebra 60º aniversário

Setor Energético

23.03.22

Como a meteorologia impacta os preços da energia elétrica no Brasil?

Press Release

22.03.22

Tradener propõe Plano Nacional de 100 PCHs com geração de até 1 milhão de empregos

Press Release

22.03.22

Tradener fecha contrato inédito com a YPFB para trazer gás natural boliviano ao Brasil.

Press Release

22.03.22

Tradener cresceu quase 60% suas vendas de energia em MWh em 2021

Press Release

22.03.22

Tradener aumentou em 103% sua compra de energia no longo prazo.

Setor Energético

22.03.22

A importância da água na geração de energia elétrica.

Setor Energético

15.03.22

O que esperar da micro e mini geração distribuída x incentivos e crescimentos projetados?

Gás

07.03.22

Tradener fecha contrato inédito com a YPFB para trazer gás natural boliviano ao Brasil.

Setor Energético

22.02.22

PDE 2031: qual é a tendência da Matriz Energética Nacional para a próxima década?

Geral

17.02.22

Sua empresa está preparada para descarbonizar?

Setor Energético

10.02.22

Como está o processo de geração de energia eólica em mar brasileiro?

Setor Energético

09.02.22

A influência das chuvas na geração de energia eólica

Setor Energético

02.02.22

Energia Renovável no Brasil, o que esperar para os próximos anos?

25.01.22

Parabéns, São Paulo da garoa, da terra boa e da energia solar!

Geral

10.11.21

Como é o mercado de trabalho no setor de energia?

Mercado Livre

11.08.21

Como alcançar mais previsibilidade na fatura de energia elétrica?

Geral

25.03.21

Energia Eólica no Brasil e no mundo

Setor Energético

20.05.22

Chuvas de março melhoram afluência da região Sul

%d blogueiros gostam disto: