Especialistas já preveem bandeira vermelha o ano todo

Especialistas já preveem bandeira vermelha o ano todo

A continuidade da operação das térmicas mais caras representa um risco de alta à inflação de 2016, ainda que pequeno. Mesmo economistas que esperam mudança da bandeira tarifária vermelha para amarela avaliam que a passagem não deve ocorrer no primeiro trimestre. Do outro lado, analistas que já trabalham com manutenção do sinal vermelho ao longo de todo o ano afirmam que o acionamento das termelétricas reforça o cenário menos otimista para o aumento das contas de luz.
 
É o caso de Leonardo Costa França, da Rosenberg Associados, que projeta alta de 9,9% para as tarifas de eletricidade em 2016. "Mantemos a expectativa de que a bandeira vermelha não se altere ao longo do ano", diz, hipótese que ganhou força após a notícia de que as térmicas mais caras seguem despachadas.
 
Mesmo assim, pondera França, os preços de energia terão recuo forte em relação a 2015, quando devem ter avançado mais de 50%. Contribuem para o quadro mais benigno, diz, a ausência de reajustes extraordinários das tarifas das distribuidoras e de correções da energia gerada pela usina binacional de Itaipu.
 
Os dados mais recentes do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) sobre o uso de térmicas afastaram ainda mais o cenário otimista de alteração para bandeira verde este ano, afirma Thiago Curado, economista da 4E Consultoria. Nesse caso, Curado calcula que as tarifas de eletricidade subiriam 6,75% em 2016, ao invés dos 11,2% projetados atualmente, que consideram passagem da bandeira vermelha para amarela.
 
Com o desligamento total das térmicas, estima ele, o IPCA aumentaria 7,3% neste ano, 0,1 ponto a menos do que a previsão da consultoria para o indicador. Já considerando que não haverá mudança nas bandeiras tarifárias em 2016, a projeção para o índice aumentaria ligeiramente, de 7,40% para 7,45%.
 
"O cenário de bandeira vermelha não é muito pessimista, nem o de bandeira amarela é muito otimista", resume o economista, uma vez que a melhora do regime hidrológico, ao mesmo tempo em que reduz os riscos de alta mais forte das tarifas de energia, pressiona os preços de alimentos in natura. "O efeito de alimentação em alta praticamente anula o impacto da passagem da bandeira vermelha para amarela."
 
Étore Sanchez, da LCA Consultores, mantém em 5,5% sua estimativa para o reajuste médio das contas de luz neste ano, contando com a entrada da bandeira amarela em junho. Caso a mudança não aconteça, a previsão da LCA mudaria para 10%, o que teria impacto adicional de 0,18 ponto percentual no IPCA, que, nos cálculos da consultoria, deve avançar 7,1% em 2016.
 
Embora a falta de chuvas no Nordeste seja um risco à expectativa de alteração de bandeiras, Sanchez destaca que o peso das capitais nordestinas é menos representativo no indicador oficial de inflação. Além disso, os efeitos da seca na região sobre as contas de luz tendem a ser diluídos pela interligação do sistema nacional de energia, afirma ele.
 
De qualquer forma, diz, a hipótese de bandeira amarela pode ser considerada conservadora, diante do maior volume de chuvas no Sul e no Sudeste. "Não podemos ignorar o volume de chuvas que está caindo agora, mas apostar que ele vai se manter e que, por isso, a bandeira mudará para verde é uma hipótese agressiva", aponta Sanchez.
 
Fonte: Valor Econômico (07/01/2016)

Veja também

Geral

21.06.22

O que faz um profissional que trabalha com comercialização de energia?

Geral

07.06.22

Tradener alcança certificação Great Place to Work pela segunda vez

Na Mídia

17.05.22

Barra Bonita é destaque em jornal Gazeta do Povo do PR

Geral

04.05.22

Tradener investe em energia limpa e renovável para um mundo em transformação

Setor Energético

28.04.22

Brasil alcançou a 6ª posição em ranking de energia eólica

Geral

27.04.22

Mês da criatividade e inovação com protagonismo da Tradener

07.04.22

Cidade de Pindaí onde empresa do grupo tem parque eólico celebra 60º aniversário

Setor Energético

23.03.22

Como a meteorologia impacta os preços da energia elétrica no Brasil?

Press Release

22.03.22

Tradener propõe Plano Nacional de 100 PCHs com geração de até 1 milhão de empregos

Press Release

22.03.22

Tradener fecha contrato inédito com a YPFB para trazer gás natural boliviano ao Brasil.

Press Release

22.03.22

Tradener cresceu quase 60% suas vendas de energia em MWh em 2021

Press Release

22.03.22

Tradener aumentou em 103% sua compra de energia no longo prazo.

Setor Energético

22.03.22

A importância da água na geração de energia elétrica.

Setor Energético

15.03.22

O que esperar da micro e mini geração distribuída x incentivos e crescimentos projetados?

Gás

07.03.22

Tradener fecha contrato inédito com a YPFB para trazer gás natural boliviano ao Brasil.

Setor Energético

22.02.22

PDE 2031: qual é a tendência da Matriz Energética Nacional para a próxima década?

Geral

17.02.22

Sua empresa está preparada para descarbonizar?

Setor Energético

10.02.22

Como está o processo de geração de energia eólica em mar brasileiro?

Setor Energético

09.02.22

A influência das chuvas na geração de energia eólica

Setor Energético

02.02.22

Energia Renovável no Brasil, o que esperar para os próximos anos?

25.01.22

Parabéns, São Paulo da garoa, da terra boa e da energia solar!

Geral

10.11.21

Como é o mercado de trabalho no setor de energia?

Mercado Livre

11.08.21

Como alcançar mais previsibilidade na fatura de energia elétrica?

Geral

25.03.21

Energia Eólica no Brasil e no mundo

Setor Energético

20.05.22

Chuvas de março melhoram afluência da região Sul

%d blogueiros gostam disto: